Ichu: Texto sobre a FESTA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Por Dalva Oliveira 
É bom conhecermos a história religiosa da Paróquia. Até então nós ressaltamos a história civil do município quanto aos aspectos de origem, economia, educação, saúde, atividades artísticas, culturais, político/eleitoral entre outros. As coisas de Deus vão ficando para trás. 
Pois é, e para trás vai ficando a nossa identidade religiosa. Mesmo sabendo e devendo publicar que Ichu, na atualidade não tem apenas a prática da Religião Católica, não podemos ocultar que por muitos anos ela foi a única religião de nosso povo. Aprendemos a respeitar as opções religiosas de cada um. 
Mas estamos no mês de janeiro que é o mês dos preparativos para a festa do Padroeiro da Paróquia – o nosso SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS
Algumas perguntas esperam resposta: exemplo – Quem escolheu o Padroeiro de Ichu? Por que a escolha foi o Sagrado Coração de Jesus? Que passos foram dados para iniciar e preservar essa devoção? Qual é mesmo a data da grande festa? Toda essa fala de hoje será direcionada ao nosso Padroeiro, afinal estamos nos preparando para o grande dia 07 de fevereiro de 2012. Neste momento a história é do Padroeiro! 
As questões feitas serão respondidas baseadas em dados do apostolado da Oração fornecidos pela professora Lucinea Gordiano Lima e outros informados por professora Dalva de Oliveira Carneiro ambas militantes na fé católica e com vivências, em campos diferentes, sobre o conhecimento da Paróquia. 
Já sabemos que a fé católica chegou a Ichu através da família CARNEIRO que já a cultivava no coração. Comprando a Fazenda Enxu Joaquim Lázaro Carneiro e sua esposa Umbelina, com seus filhos, alimentavam sua fé nas cidades de Riachão do Jacuípe e no Povoado de Candeal. Um desentendimento entre o Pe. Gasparin ou Gaspar e protestantes fizeram com que o vigário refugiasse em Ichu, acolhido por Joaquim e Umbelina. 
Foi a semente da igreja católica em Ichu cujos atos religiosos já eram celebrados na casa da fazenda com a participação de familiares e pessoas de fazendas vizinhas. 
Hermelino Carneiro destacou-se dentre os filhos de Joaquim e Umbelina por sua vocação religiosa. Concretizou com seu pai e ideia de construir a Capela do Sagrado coração de jesus do qual já era fiel devoto e membro do Apostolado da Oração em Riachão do Jacuípe. Isso tudo estava acontecendo em mais ou menos nos anos de 1926 – 1927 e no dia 07 de fevereiro de 1928 chegava a Ichu a imagem do Sagrado Coração de Jesus – Padroeiro de Ichu. A mesma imagem que reina, triunfa e impera no alta-mor de nossa igreja e está igualmente em nossos corações de católicos. A imagem não veio coroada. A coroa foi outro fato marcante de nossa fé, que falaremos depois. 
Por muitos anos a festa permaneceu no dia 07 de fevereiro caísse em qualquer dia da semana festejávamos o nosso padroeiro dia 07. Pensam vocês que os dias festivos era só três dias como hoje? Não eram! Até 5 dias festivos já ocorreram com missas, tinha o dia dos batizados, casamentos, missa dos vaqueiros, quermesses, novenas. 
Os padres, em geral de Riachão do Jacuípe, passavam a semana aqui, em especial Pe. Galdino que ficava em Ichu todo o mês de janeiro ensaiando os cânticos, aperfeiçoando o coral composto por diversas pessoas dentre elas, Dodora e suas irmãs Antonia e Fia, Lelinha, Filogônia, Terezinha de Rosalvo, Nely. Mesmo sem energia elétrica ensaiavam às noites na igreja com a iluminação das lâmpadas “petromax”. 
Com missas ocasionais, rezas noturnas, orações do terço, Hermelino e família (em especial a filha Agda Carneiro) mantinha a fé do povo. 
Em 1934, no dia 12 de novembro foi fundando o Apostolado da Oração de Ichu com a orientação do Pe. Fernando. Em 1940, Pe. Geraldo reorganizou o Apostolado. Na verdade o Apostolado da Oração foi iniciador da organização das festas religiosas, preservou a fé, manteve a tradição. A intenção era divulgar a Palavra de Deus. Foi por muito tempo quem organizava, determinava e realizava os atos de fé. Posteriormente foi apoiado por outra instituição religiosa – a Legião de Maria. Em conjunto fizeram viagens missionárias, levaram a fé às comunidades rurais e vivenciaram a fé em municípios vizinhos participando de diversos encontros. 
Festas marcantes do Padroeiro aconteceram todos os anos. Podemos dizer que são verdadeiros avivamentos da fé. Entretanto, destacamos: as Bodas de Prata da entronização da Imagem do Sagrado Coração de Jesus no ano de 1953. Em 1967 a festa da Consagração do Município ao Sagrado coração de Jesus foi uma festa belíssima e podemos dizer que uniu todas as comunidades, instituições públicas e privadas, o comércio, as comunidades rurais. Em 1978 a grande festa de Bodas de Ouro, outra festa linda, cristã, explosão de fé, bênçãos, graças!!! Obrigada Jesus. 
Em 1991, Pe. Leopoldo Garcia Garcia assumiu a Quase Paróquia do Sagrado Coração de Jesus e deu um novo redimensionamento na estrutura, na organização, na aceitação da diversidade do município. Fortaleceu o espírito da missão evangelizadora. Em 1996 foi constituída a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus. Em 2003 foi a grande festa das Bodas de Diamantes. 
O que nos interessa não é apenas festejar a chegada da imagem que já não é mais fixada em 07 de fevereiro porque a modernidade acaba influenciando também nas normas religiosas. O capitalismo, o neoliberalismo com suas relações de trabalho foi pouco a pouco mudando esta data que hoje é fixada entre a 1ª ou 2ª semana do mês de fevereiro o que permite os filhos, os amigos de Ichu que moram fora celebrar esta festa conosco. O que nos interessa é mesmo amar de fato o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, que nasceu, proclamou a Palavra, morreu e ressuscitou para nos salvar. 
É preciso que divulguemos a espiritualidade do Coração de Jesus – uma espiritualidade que tem raízes bíblicas. O próprio Jesus se apresentou como “manso e humilde de coração” (Mt 11, 30). É preciso que vivamos o que Ele disse em Jo 15, 5 “sem Mim, nada podeis fazer”. 
Veneremos a imagem como ícone de nossa fé e digamos como Paulo em Gálatas 20, 2 “Esta vida presente na carne eu vivo, eu vivo pela fé no Filho de Deus que me amou e se entregou a si mesmo por mim. Por isso, já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. Em Fl 2, 5 Paulo escreveu: “Tenham no coração as mesmas atitudes do Coração de Jesus”. 
O Coração de Jesus nos convida a implantar o Reino da Vida nas pessoas e na sociedade. 
Vivamos, pois a civilização do Amor. Se vivermos esta mística, ficaremos indignados ao ver as coisas desajustadas; esta santa indignação alimentará nossa mística de fazer o céu acontecer na terra. 
Sagrado Coração de Jesus, nós os ichuenses, confiamos em Vós. 
Sagrado Coração de Jesus, que tanto nos amais, fazei com que Vos amemos cada vez mais. 
Neste ano de 2012 estamos festejando as Bodas de Girassol – sejamos como esta flor que acompanha o sol buscando-o para manter-se viva, linda e assim busquemos Jesus Cristo para que tenhamos vida plena. Depositemos Nele nossa confiança; que nossa fé seja Cristocêntrica. Zelar da Imagem com um símbolo, mas Jesus é a nossa direção, nossa esperança, nosso Deus vivo.
Fonte: Site da Paróquia – www.paroquiaichu.com.br
This entry was posted in Religião. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>