São José do Jacuípe – Barragem está com apenas 11,8% da sua capacidade e pode entrar em colapso

É notável o quanto baixou o nivel da água, se observar a base de concreto que fica na parte mais funda

É preocupante a situação da barragem de São José, no município do mesmo nome, que foi construída em 1980 pelo Governo do Estado, na gestão do ex-governador, hoje senador, João Durval Carneiro.

A barragem tem uma altura de 41m por 1.560m de largura e 48 km de extensão, mas no momento está apenas com 15 km. A construção da adutora para levar água da barragem tem como objetivo atender à irrigação, abastecimento humano, piscicultura, pecuária e perenização do Rio Jacuípe em uma extensão de 180 km, até a sua confluência com o Paraguaçu.

Um dos funcionários da Companhia de Engenharia Ambiental da Bahia (CERB), que trabalha na área e pediu para não ser identificado, disse ao CN que a barragem no momento opera 11,81% da sua capacidade, quando o  ideal era operar com 50%. Ele também externou a procupação com evaporação que chega a um cetimetro por dia e isto é acompanhada pelos órgãos superiores através de satélite.

“Diariamente são liberadas 50 mil litros por segundo para alimentar o rio, 350 mil para adutora e 180 para atender o projeto de Irrigação do Jacuípe no município de Várzea da Roça”, explicou o funcionário. As águas da barragem do São José abastecem mais de 20 municípios dos Territórios da Bacia do Jacuípe e do Sisal, uma quande quantidade de pequenas, médias e grandes comunidades, a exemplo de Barreiros e Chapada, em Riachão do Jacuipe, Pereira, em Santaluz, Ipoeirinha e Almas em Conceição do Coité, apesar da salinidade alta. “Mesmo assim vem ajudando bastante neste período de estiagem. E não apenas as pessoas, mas também os animais e abaixo de Deus, triste de nós, sem essa água, mesmo salobra”, falou o aposentado Francisco Romão Barreto, 65 anos.

Prefeito Almeida afirma que a coisa é muito séria e pede que a população faça o máximo de racionamento

A barragem banha os municípios de São José do Jacuípe e Várzea da Roça, é considerada uma das mais importantes na perenização do Rio Jacuípe e a terceira maior da Bahia com capacidade de  represar 355 milhões de metros cúbicos de água, mas por conta da estiagem está com apenas 40 milhões de metros cúbicos. “A situação é tão preocupante que estaremos realizando uma reunião no dia 30, com os prefeitos da região, os deputados votados nestes municipios  e câmara de vereadores para buscar uma solução, através da interligação com o sistema que está trazendo água do São Francisco para região do Irecê  e estender até nossa região”, falou demonstrando preocupação o prefeito Antonio Roquildes Vilas Boas Almeida (PSD).

“Enquanto o projeto de interligação entre as barragens não entra em funcionamento, só resta para os consumidores economizar água. Com essa atitude, a barragem de São José do Jacuípe suportará a conclusão do projeto em andamento e, com isso os municípios beneficiados pelo seu abastecimento não serão privados do mais precioso líquido do planeta”, concluiu Almeida, como é conhecido o prefeito.

Joaquim (no centro) se emocionou ao falar da barragem e pediu apoio de todos os orgãos competentes para não permitir que a mesma entre em colapso

Um dos maiores consumidores de água é o projeto de irrigação do Jacuípe que até o final de 2010, registrava 110 lotes de 03 hectares cada no município de Várzea da Roça. O citado projeto teve início em 1998, mas só atingiu até o ano de 2010 35% do que estava previsto que era de 1.002 hectares.

Segundo o vereador do municipio de São José do jacuípe, Joaquim Vilaronga Rios, que acompanhou toda construção e até chorou ao falar sobre a barragem durante entrevista para a TV Calila. A barragem só chegou a capacidade máxima quando foi construida em 1985. “É necessário juntar todos, de todos os partidos, todos os grupos políticos, governo federal e estadual, para salvar a barragem”, falou o vereador que está no exercicio do terceiro mandato.

Com a barragem secando, a salvação está no projeto de interligação da barragem de pedras ao sistema da adutora do Sisal, obra indicada no governo do estado pela deputado Neusa Cadore (PT), que está em execução pela EMBASA com investimentos na ordem de R$ 59,3 milhões de reais.

Saiba mais e veja as imagens do momento atual da barragem de São José através da TV Calila.

Fonte: Calila Notícias

This entry was posted in Região and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to São José do Jacuípe – Barragem está com apenas 11,8% da sua capacidade e pode entrar em colapso

  1. Raimundo says:

    Olá André!!
    Acompanho sempre as suas reportagens, é também uma forma de me manter informado sobre o que está aconteendo na minha região.
    Como sugestão de reportagem para nós leitores: Verifica como anda as obras da barragem de Pedras e quando esse povo sofrido poderá ter esse líquido precioso em sus torneiras. Com certeza será uma excelente matéria para você fazer.
    Grande abraço
    Raimundo Natal (RN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>